Blog do Teixeira

Teixeira teve um bom aproveitamento em diversos cursos da área de WebDesign e WebMaster. Atualmente aposentado tem esse espaço para postar comentários, artigos, reportagens, pesquisas. Tudo que ache relevante para o debate e a livre expressão de opiniões.

Um pouco do assunto
Definição Radioamador
Propagação
Repetidoras
Código "Q" e sua definição
Alfabeto Internacional Fonético
Operando nas Bandas de HF
Siglas e Termos Radioamadorismo
Prefixos ARRL e ITU
Prefixos ARRL e ITU - por prefixo
Prefixos ARRL e ITU - por entidade (país)
Prefixos ITU - por prefixo
Prefixos ITU - por entidades (país)
LoTW - Controle para Certificados
LoTw QSOs confirmados - controle
Estudos
Legislação
Legislação de Telecomunicações
Resolução nº 449 de 17/11/2006
Aprova Resolução nº 449 de 17/11/2006
Resolução nº 452 de 11/12/2006
Resolução nº 484 de 05/11/2007
Técnica Operacional
Técnica e Ética Operacional
Eletrônica e Eletricidade
Eletrônica e Eletricidade
Código Morse
Código Morse
LOG Radioamador
Log Radioamador
Resumo por mês
Gravações QSO
Mapa América do Sul
Prefixos Radioamadores
Mapa America do Sul
Mapa Continentes
Mapa e Tabelas
Meus Cartões de QSL
Cartões QSL recebidos
Você está aqui(You are here)
Localize Entidade
Siglas e Termos usados no Radioamadorismo
73
Saudações e abraços. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
88
Carinhos e beijos. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
99
Não interfira. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
Adicional
- ou domicílio adicional. Estação de radioamador fixa, que pode ser instalada e operada de um domicílio adicional do titular.
ADR
Endereço Postal (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
AFSK
- do inglês audio-frequency shift keying, isto é, manipulado por desvio de frequência de onda, processo usado em teletipo (RTTY).
AGN
De novo, outra vez. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
Alto-falante
- aparelho transdutor eletroacústico para converter correntes de audiofrequência em ondas sonoras audíveis. Aparelho por onde é ouvida a voz humana e os sons musicais de um equipamento eletrônico.
AM
- amplitude modulada. Trata-se de um processo de transmissão de ondas de rádio, usado pelas estações de radiodifusão, atualmente pouco empregado pelos transmissores de radioamadores, em virtude de sua pouca penetração nas camadas de propagação. É uma maneira de variar a amplitude ou frequência de uma onda portadora, de acordo com o sinal a ser transmitido, pelo valor mais alto de uma alternação, seja qual for sua direção ou polaridade, com um valor máximo, seja positivo ou negativo.
Amperagem
- valor da intensidade de uma corrente elétrica medida em amperes.
Amperagem é a quantidade de energia elétrica que flui através de um aparelho a qualquer momento. Esta medida é expressa em unidades chamadas ampéres, muitas vezes abreviada pela letra A. Quando os eletricistas falar da eletricidade fluindo dentro e fora de uma casa, eles podem estar se referindo à amperagem, tensão ou potência, dependendo das circunstâncias.
A compreensão de amperagem pode exigir um curso de elétrica mais aprofundado. Em uma comparação, a eletricidade está para os circuitos elétricos domésticos assim como a água está para os sistemas de encanamento. E eletricidade é levada para as residências através de linhas de energia, conectadas a um gerador. No padrão brasileiro, a eletricidade pode se apresentar em voltagens de 110 ou 220 volts.
Em outros países, pode chegar a 230 volts. Os volts não fluem por si mesmos - são tiradas de um ponto alto (a linha elétrica externa da casa) para um ponto mais baixo (um aparelho doméstico, por exemplo) uma vez que o circuito é completado pelo acionamento do interruptor deste aparelho. Pode considerar que a tensão é mais uma medida de energia "potencial" disponível, não necessariamente o quanto de energia é realmente utilizado.
Uma torradeira, ou qualquer outro produto elétrico doméstico, precisa de uma determinada quantidade de energia elétrica para funcionar. Um pequeno aparelho elétrico como uma torradeira normalmente precisa de menos energia do que um aparelho maior, como uma geladeira ou serra elétrica. Em termos elétricos, estes aparelhos funcionam com taxas de amperagem diferente. Um motor elétrico de grande porte pode fazer uso de 100 ampères de tensão, enquanto uma resistência elétrica pequena pode puxar apenas 10 ampères.
A amperagem deve ser controlada de forma a proteger as linhas elétricas de fatores como sobreaquecimento ou curto-circuito. É por isso que os eletricistas usam fusíveis e disjuntores. Dispositivos elétricos maiores muitas vezes têm seus próprios circuitos com fusíveis de maior capacidade ou disjuntores para evitar sobrecargas maiores de energia.
A regra geral para o uso de energia elétrica é: quanto maior a amperagem, mais um aparelho elétrico consumirá energia. Há sempre uma relação entre potência e economia quando se trata de dispositivos elétricos. Se economizar gastos com energia elétrica é uma prioridade, o ideal é selecionar os produtos que consumam menor amperagem. Se potência e velocidade de funcionamento são os fatores mais importantes, então o aconselhável é buscar por produtos com maior amperagem. Cabe lembrar que potência é a unidade básica de medição de energia elétrica, normalmente cobrado em watts ou kilowatts. É por isso que é importante desligar os aparelhos elétricos quando eles não estão em funcionamento. Já a amperagem extra representa uma maior quantidade de horas de potência faturável.
Ampere
- unidade padrão da intensidade da corrente elétrica. É a quantidade de corrente produzida por uma força eletromotriz de 1 volt, através de um circuito cuja resistência é de 1 ohm. Em outras palavras: unidade de medida equivalente à intensidade de uma corrente elétrica constante, que, mantida em dois condutores paralelos retilíneos, de seção reta desprezível, e colocados a uma distância de um metro um do outro, no vácuo, produz uma força igual a 2.10-7 N/m (newtons por metro de comprimento). Seu nome é uma homenagem ao físico francês André Marie Ampère (nascido em Lyon, em 1775, e falecido em Marselha, em 1836), que após ter edificado, em poucos dias, no ano de 1820, a teoria do eletromagnetismo, estudou as ações recíprocas das correntes e dos imãs etc. Derivam de seu nome várias palavras técnicas usadas pela eletrônica.
Amperímetro
- instrumento destinado a medir, em amperes, a intensidade da corrente elétrica. Há vários tipos de amperímetros: os de quadro móvel, os de ferro doce, os de indução e os térmicos. (Amperímetro com bobina móvel, Amperímetro Eletrodinâmico, Amperímetro de ferro-móvel, Amperímetro de fio quente, Amperímetro de indução e campo girante.) O amperímetro de fio quente, ou amperímetro técnico, é aquele cujas indicações são dadas pela dilatação de um condutor ao ser aquecido pela maior ou menor intensidade da corrente que o percorre. O amperímetro dinamométrico é aquele cujo funcionamento se baseia no dinamômetro elétrico. O amperímetro também é chamado de amperômetro. Seu nome é uma homenagem ao físico e matemático francês André Marie Ampère.
Amplificador
- aparelho destinado a amplificar (aumentar) a tensão, a intensidade ou a potência de sinais elétricos. Entre os muitos que existem, destacam-se os amplificadores de válvulas ou de transistores, que são utilizados na técnica das telecomunicações radioelétricas, e como relés nos circuitos telefônicos de longa distância, com a finalidade de aumentar a intensidade dos sinais telegráficos e eletrônicos, inclusive nos cabos submarinos.
Amplitude Modulada
- também conhecida pela sigla de AM. Trata-se de um processo de transmissão de ondas de rádio, usado pelas estações de radiodifusão, atualmente pouco empregado pelos transmissores de radioamadores, em virtude de sua pouca penetração nas camadas de propagação. É uma maneira de variar a amplitude ou frequência de uma onda portadora, de acordo com o sinal a ser transmitido, pelo valor mais alto de uma alternação, seja qual for sua direção ou polaridade, com um valor máximo, seja positivo ou negativo.
ANATEL
Criada pela Lei 9.472, de 16 de julho de 1997 – mais conhecida como Lei Geral de Telecomunicações (LGT) –, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi a primeira agência reguladora a ser instalada no Brasil, em 5 de novembro daquele mesmo ano. A criação da Anatel fez parte do processo de reformulação das telecomunicações brasileiras iniciado com a promulgação da Emenda Constitucional 8/1995, que eliminou a exclusividade na exploração dos serviços públicos a empresas sob controle acionário estatal, permitindo a privatização e introduzindo o regime de competição. O Estado passava da função de provedor para a de regulador dos serviços. Regulamentar, outorgar e fiscalizar. Assim podem ser resumidas as principais atribuições da Anatel, desenvolvidas para cumprir a missão de “promover o desenvolvimento das telecomunicações do País de modo a dotá-lo de uma moderna e eficiente infraestrutura de telecomunicações, capaz de oferecer à sociedade serviços adequados, diversificados e a preços justos, em todo o território nacional”. A Agência é administrativamente independente, financeiramente autônoma, não subordinada hierarquicamente a nenhum órgão de governo. Última instância administrativa, as decisões da Anatel só podem ser contestadas judicialmente. As normas elaboradas pela Agência são antes submetidas a consulta pública, seus atos são acompanhados por exposição formal de motivos que os justifiquem. Em determinados casos são promovidas audiências públicas para a manifestação presencial da sociedade. As atas de reuniões e os documentos relativos às decisões do Conselho Diretor e à atuação da Anatel encontram-se disponíveis ao público na Biblioteca da Agência. Em anos recentes a Anatel vem acumulando inúmeras críticas da sociedade devido a suas ações claramente voltadas para defesa dos interesses do oligopólio das telecomunicações no Brasil, formado por um pequeno número de empresas privadas.
Serviços regulados
Telefonia fixa (Serviço Telefônico Fixo Comutado - STFC)
Comunicação móvel (Serviço Móvel Pessoal - SMP e Serviço Móvel Especializado - SME)
Comunicação multimídia
Radiodifusão
TV por assinatura
Rádio do cidadão
Radioamador
Radiofrequência
Satélite
Serviço limitado
Demais serviços de telecomunicações
Ângulo
- em eletrônica, é a distância do longo de uma onda de rádio ou parte de um ciclo de corrente alternada (C.A.), medida em graus, sendo cada ciclo completo dividido em 360 graus.
Antena
- condutor ou sistema de condutores utilizado para irradiar ou receber ondas de rádio.
ARRL
- sigla da American Radio Relay League (que corresponde a Liga de Radioamadores dos norte-americanos). Foi fundada por iniciativa do inventor Hiram Percy Maxim, sendo a primeira associação de radioamadores a ser fundada no mundo. Seu endereço é: ARRL, the national association for Amateur Radio 225 Main Street Newington, CT, 06111-1494 USA Tel:1-860-594-0200 Fax:1-860-594-0259 hq@arrl.org
Balum
- acessório colocado em antena permitindo o casamento eficiente de uma antena balanceada ou simétrica de 52 ou 72 ohms de impedância e proporcionando o máximo de rendimento na transmissão dos sinais de rádio por ela emitidos.
Batida zero
- momento em que duas frequências são exatamente iguais. Exemplo: a sintonia do transmissor de um radioamador, sintonizado na frequência onde outro está sendo modulado, provoca um sibilado que desaparece no exato momento em que as duas estações se encontram em frequências iguais; por conseguinte, deixa de haver a batida. O mesmo que “bite zero” (em inglês zero beat).
Batimento
- ruído provocado por uma ou mais ondas de rádio periódicas, de diferentes frequências, que reagem de forma a provocar um resultante que possua pulsação de amplitude. Exemplo: estação de radioamador modulando bem próximo da outra, principalmente se ambas estão localizadas na mesma cidade. O mesmo batimento poderá ser provocado por uma estação de radiodifusão próximo da frequência operada pelo radioamador.
Blindagem
- envoltório condutor de metal usado para proteger uma porção interna de um circuito dos efeitos externos de campos eletromagnéticos ou eletrostáticos. Exemplo: o local onde ficam situadas as válvulas do tanque final do transmissor.
Bobina
- certo número de voltas de fio metálico enrolado num núcleo de ferro ou num material isolante, em forma de núcleo. Uma bobina oferece considerável oposição à passagem da corrente alternada, porém muito pouca oposição à passagem da corrente contínua. Existem muitos tipos de bobinas e para diversas finalidades.
Calibrar
- ajustar com precisão a leitura de um instrumento elétrico de medição, comparando-o com um padrão fixo ou com outro instrumento cujo valor é computado como correto.
CALL
Chamada, Indicativo. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
CFM
Confirmar, confirmo.(Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
Chassi
- armação metálica na qual é assentado o conjunto de peças que compõem um rádio transmissor ou receptor. Esta palavra também serve para designar o equipamento completo de rádio, já montado, antes de ser colocado no móvel ou caixa.
Coaxial
- cabo coaxial. É uma linha ou cabo de dois condutores, na qual é um tubo, flexível ou não, e o outro é um fio central suportado no interior do tubo por isoladores. É empregado para ligação da antena ao transmissor, e por ele são enviados e recebidos os sinais de rádio (a modulação humana transformada em impulsos elétricos).
Código Morse
- também conhecido por CW. É um sistema de transmissão por sons interrompidos, provocando sons rápidos (os chamados pontos ou DI)e sons mais longos (chamados de linha ou DA), variando de conformidade com os caracteres de cada letra ou número que representa. É usado para comunicação em telegrafia e foi inventado pelo pintor norte-americano Samuel Finley Brese Morse após seu regresso da Europa, em 1835, depois de uma fracassada exposição de seus quadros.
Código “Q”
- combinação de um grupo de 3 letras, de uso internacional, utilizado pelos meios de comunicação em todas as modalidades e tipos de operação, inclusive o radioamadorismo. O grupo começa pela letra “Q” representando frases de perguntas e respostas, comumente empregadas nas comunicações radiotelegráficas e, em fonia, entre estações fixas e móveis, as primeiras instaladas em terra e as últimas em aeronaves, embarcações ou transportes terrestres.
Comprimento de onda
- numa onda periódica, é a distância entre fases correspondentes de dois ciclos consecutivos. É igual ao quociente obtido dividindo-se a velocidade da fase pela frequência.
Comprimento de onda da antena
- tamanho ou comprimento de onda corresponde à frequência natural ou fundamental do circuito de antena.
Condensador
- aparelho que, em forma compacta, proporciona capacidade eletrostática. Consta de dois ou mais condutores, denominados placas, separados entre si por um dielétrico. Aplicando-se às placas uma diferença de potencial, o condensador se carrega, submetendo o dielétrico a uma tensão em cuja condição se acumulará energia elétrica que será novamente convertida em força eletromotriz ao se descarregar o condensador. Há dois tipos de condensadores: variáveis e fixos. Os primeiros são aqueles cuja capacidade elétrica pode ser variada durante a operação, como os empregados nos transmissores modernos dos radioamadores.
Control
- palavra inglesa que significa “controle de modulação” nas reportagens de intensidade do sinal recebido.
Coordenadas
- números e dados que determinam a posição de um ponto num plano. No radioamadorismo usa-se a palavra para exprimir um conjunto de informações pessoais do operador e de sua estação, tais como nome, endereço, indicativo de chamada, tipo do equipamento etc.
CQ
Chamada geral. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
CUL
Até logo. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
CW
- do inglês continuous waves, isto é, ondas contínuas. É a telegrafia manipulada em código morse, empregando o processo de ondas contínuas. Foi inventado pelo pintor norte-americano Samuel Finley Brese Morse, quando regressou da Europa, em 1835, após a fracassada exposição de seus quadros. (Veja mais informações em Código Morse)
DB
- decibel. Também conhecido pela sigla DB. A palavra é formada por duas outras palavras bem distintas: deci, que significa um décimo, e bel, que é a divisão fundamental de uma escala logarítmica para exprimir a relação entre duas potências, sendo que o número em béis denota tal relação e o logaritmo da base a décima parte de tal relação. Exemplo:
com P1 e P2 representando duas potências e N o número de béis de relação entre elas:
N = log 10 (P1 ÷ P2) béis
Em lugar de se avaliar a intensidade de um som pelo seu valor absoluto I, expresso em watts/cm2, é prática corrente considerar antes a diferença de intensidade de dois ou mais sons, empregando-se, para isso, uma unidade logarítmica que se chama bel. Assim, diz-se que a diferença de intensidade de dois sons, cujas intensidades absolutas sejam I1 e 12, será:
a = log 10 (I1-12) béis
O decibel, portanto, é um décimo do bel. O número de decibéis denota a relação entre duas quantidades de força, multiplicadas dez vezes pelo logaritmo de base 10. É uma variação na intensidade do som que pode ser percebida pelo ouvido humano, ou seja, é a unidade usada para indicar as diferenças na intensidade do som.
Dispositivos eletrônicos
- os dispositivos eletrônicos disponíveis no mercado já fazem parte do dia-a-dia de todos, especialmente nas indústrias de diversos segmentos. Estes equipamentos de testes elétricos têm tornado as tarefas muito mais fáceis, precisas e seguras, otimizando e, consequentemente, custos de uma forma geral. Um produto muito útil utilizado pelas fábricas e equipe de manutenção no chão de fábrica atualmente é o equipamento de teste elétrico.
Os equipamentos para testes elétricos podem ser classificados em diferentes categorias conforme as diferentes indústrias que utilizam esses aparelhos. Entre os equipamentos usados são os equipamentos de testes e medição de tensão, como os voltímetros, amperímetros, multímetros e ohmímetros, equipamentos de testes elétricos em aviões, testadores de bateria e equipamentos automáticos de testes. Dada a seguir alguns detalhes sobre os diferentes tipos de testadores disponíveis no mercado atualmente:
Equipamentos de testes elétricos em aviões
Estes dispositivos são utilizados principalmente para testar componentes como resistores e capacitores. Estes são muito parecidos com as placas de circuito impresso, que incluem vários soquetes e slots para testar uma série de dispositivos eletrônicos. Estes testadores são também comumente aplicados em redes.
Testadores da bateria
Os equipamentos de testes para bateria são frequentemente empregados na indústria automotiva. São especialmente utilizados para testar a resistência e o desempenho das baterias de carros. Ele destina-se à análise de temperatura da célula de bateria, carga, resistência de corrente contínua, amperagem e voltagem. Ele também indica o estado atual da bateria e se o componente continuará a funcionar ou não, sendo uma ferramenta perfeita para indicar a necessidade de manutenção no dispositivo.
Equipamento automáticos de teste
Ele está entre os mais avançados aparelhos elétricos de teste, auxiliando na medição de alguns tipos específicos de unidades industriais, por meio de comandos automatizados. É um equipamento caro e manuseá-lo necessita de um conhecimento abrangente sobre os aspectos técnicos envolvidos na sua criação e também durante a sua fase de programação.
O lado mais interessante deste equipamento é que ele requer o esforço humano mínimo para operar e também é muito eficiente para o uso repetido e contínuo. Estes são popularmente utilizados para testar componentes como interconexões, verificações e as placas de circuito impresso. Assim, existem vários tipos destes aparelhos de testes elétricos disponíveis no mercado industrial para facilitar o uso e a testabilidade dos aparelhos eletrônicos de forma eficaz e sem falhas.
Um equipamentos de teste automatizado pode ser tão simples como um multímetro digital , cujo modo de funcionamento e as medições são controlados e analisados por um computador, ou tão complexo como um sistema que contém dezenas de instrumentos de teste complexos capazes de testar e diagnosticar automaticamente as falhas em sistemas eletrônicos complexos.
DSB
- do inglês double side band, isto é, banda dupla lateral. Trata-se do processo de transmissão de ondas de rádio em frequências geradas nas duas bandas laterais pela modulação, e que são mais altas que a frequência portadora.
DX
- comunicado a longa distância, com estação de radioamador que pouco aparece nas faixas, ou que ainda não foi contatada pelo radioamador, por dificuldade de propagação ou por outro motivo, que a torna difícil de ser trabalhada.
DXCC
- sigla do DX Century Club, entidade associativa patrocinada pela American Radio Relay League-ARRL, dos EE.UU., um clube internacional ao qual se filiam radioamadores que apreciam os DX.
EHF
- do inglês extra high frequency, isto é, frequência além de superalta, que vai de 30 a 300 GHz. Seu uso racional está sendo utilizado para comunicações via satélite, micro-ondas, radar etc.
FB
É uma abreviatura da expressão Fine Business. Usada para indicar uma coisa boa, um bom negócio. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
FB
Escelente, ótimo, bom. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
FER
Por, para, pelo. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
FI
- do inglês intermediate frequency, isto é, frequência intermediária. Em termos técnicos, é a frequência mais alta que a frequência de modulação, porém mais baixa que a frequência condutora. Nos rádios super-heteródinos, é a que resulta da mistura da frequência modulada condutora recebida com a frequência osciladora gerada no receptor.
FM
De, desde. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
GB
Adeus, até breve. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
GCR
- do inglês General Certification Rule, isto é, rol geral de certificação, ou LOG geral de certificação. Trata-se de um documento que deve ser emitido pela Associação Radioamadorística do local de residência do radioamador que solicita a remessa de algum diploma internacional. Os patrocinadores desse diploma em geral exigem GCR, o que lhe concede a autoridade de aceitar como prova de que o radioamador solicitante do diploma está disposto a cumprir os requisitos necessários, à sua obtenção, e de que os QSLs recebidos pelos contatos realizados e relacionados no LOG enviado foram examinados e conferidos. Regra geraI, o GCR deverá ser assinado por dois radioamadores de classe “A”, ou por uma associação radioamadorística ou ainda, por um tabelião ou outro funcionário autorizado a dar fé pública ao documento em apreço. O patrocinador do diploma, no caso de dúvida, terá autorização para solicitar a remessa de todos os cartões de QSL relacionados no LOG, para a verificação necessária.
GE
Boa tarde. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
GHZ
- sigla de gigahertz. Um gigahertz é igual a mil milhões de ciclos por segundo.
GM
Bom dia. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
GN
Boa Noite. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
HF
- do inglês high frequency, isto é, alta frequência, que vai de 3 a 30 MHz. São as chamadas ondas curtas, a joia das faixas de comunicações. Sua peculiaridade é forçar o resto do espectro a orbitar em seu redor. Nessa frequência encontra-se a maioria das estações para comunicações a longa distância. Em 1912 a legislação norte-americana deixou essa faixa para os radioamadores, por considerá-Ia sem utilidade prática. Nela os primeiros amadores iniciaram suas experiências em transmissão e recepção de ondas de rádio, obtendo excelentes resultados, abrindo novos caminhos nas comunicações a longa distância. Hoje em dia, é a faixa mais congestionada, e dela quase foram expulsos os radioamadores que praticamente a descobriram. A preferência pelas ondas curtas é porque suas frequências são refletidas de volta pela ionosfera, permitindo que uma estação de baixa potência possa atingir longas distâncias. Atualmente, possantes estações de broadcasting invadiram as ondas curtas, até nas faixas dos radioamadores, quase tomando-as totalmente. Principalmente no período noturno, a disputa por uma "janela", onde o radioamador possa operar sem QRM, nos 7 kilohertz, é muito grande e nem sempre ele consegue. Levando-se em consideração que o espaço entre frequências, atualmente é de 2,5 MHz, que é o mínimo para a transmissão de voz sem interferência, isso permite um total de 10.800 canais de voz, o que é bem pouco para o mundo inteiro.
HI
Risada (telegráfica).(Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
HPE
Espero. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
HR
Aqui. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
HW?
Como me escuta. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
IARU
- International Amateur Radio Union (IARU) , isto é, União Internacional de Radioamadores.
ITU
- International Telecommunications Union, isto é, União Internacional de Telecomunicação, também conhecida como UIT. Outras informação na website http://www.itu.int/
JOTA
- sigla de "Jamboree no Ar". A palavra Jamboree vem do inglês, adaptada do hindustani por Rudiar Kipling. Desde o ano de 1920, os escoteiros a utilizam para designar as suas reuniões internacionais periódicas. Portanto, "Jamboree no Ar" é a reunião internacional que grupos de escoteiros realizam, comparecendo no chaqui de um radioamador que se prontificou a fazer os contatos com outros grupos de escoteiros marcando os pontos para cada grupo através de outros radioamadores. Essa espécie de maratona não tem espírito competitivo.
kHz
- sigla de kilohertz. Diz-se quilohertz. Expressa a medida das ondas de rádio. Essas ondas têm frequência tão alta que não seria possível expressá-las em ciclos, por ser esta uma medida muito pequena. Desse modo foram adotadas unidades maiores, isto é, o kilociclo,(*) atualmente mudado para kilohertz ou, em português, quilohertz, em homenagem ao físico alemão Heinrich Hertz (nascido em Hamburg, em 1857 e falecido em Bonn, em 1894), que verificou experimentalmente a existência das ondas eletromagnéticas batizadas com seu nome. Um kHz, ou quilociclo, equivale a 1.000 ciclos por segundo. Esse ciclo é o tempo que a onda de rádio leva desde o início da linha de cima, isto é, do pico, na outra volta do meio ciclo de baixo, isto é, do fundo, até atingir a linha do ponto neutro, mais adiante. A palavra HERTZ, se abreviada, deve ser escrita assim: Hz, isto é, a letra H em maiúscula e a letra z em minúscula. A palavra KILOHERTZ, se abreviada, deve ser escrita assim: kHz, isto é, a letra k em minúscula, a letra H em maiúscula e a letra z,em minúscula, pois a letra K em maiúscula significa múltiplo de quilo (isto é, 1.000 gr). Só se usa o h minúsculo quando se refere a hora (tempo). (*) Atenção para a colocação do autor "...atualmente mudado...". Essa definição é da 3 ª edição do livro de 1992.
Kw
- símbolo do kilowatt, também chamado de quilovátio. É medida de potência ou força elétrica que vale mil watts. Kw (diz-se quilo-uotes ou quilovátios) de potência.
LABRE
- sigla da Liga de Amadores Brasileiros de Radio Emissão. No Rio de Janeiro oendereço é:Endereço : Treze de Maio, 13 Sala 2013, 20º andar -Rio de Janeiro - RJ, CEP.: 20.031-901. E-mail : py1aa@labre-rj.org.br, Telefone : 21-2215-3027 Fax: 21-2215-3027.
LF
- do inglês low frequency, isto é, frequência baixa, que vai de 30 a 300 kHz. A LF e MF foram as primeiras frequências a serem desenvolvidas em sentido comercial, e hoje são usadas pelas emissoras de radiodifusão.
LOG
- rol, relação. Designa a relação dos contatos feitos por um radioamador em contestes, concursos ou visando a obtenção de diploma.
MF
- do inglês medium frequency, isto é, frequência média que vai de 300 a 3.000 kHz.. A MF e LF foram as primeiras frequências a serem desenvolvidas em sentido comercial, e hoje são utilizadas pelas emissoras de radiodifusão. O alcance da MF, que também é chamada de ondas médias, é da ordem de 150 quilômetros lineares, porém à noite são refletidas erraticamente pela ionosfera, dando maiores alcances.
MHz
- megahertz, que serve para expressar as medidas das ondas de rádio. Essas ondas têm frequências tão altas que não seria possível expressá-las em ciclos, por ser o ciclo uma unidade muito pequena. Desse modo, foi criada uma unidade muito maior para esta alta frequência, o megahertz (antigo megaciclo), que é um milhão de ciclos por segundo. A palavra megaciclo foi mudada para megahertz, em homenagem ao físico alemão Heinrich Hertz. (Ver kHz). A palavra MEGAHERTZ, se abreviada, deve ser escrita assim: MHz, isto é as letras M e H, em maiúscula e o z em minúscula, pois o Megahertz é igual a um milhão de hertz (Hz). Se, nesse caso, se colocar a letra M em minúscula, seria um submúltiplo de mil, ou um milésimo. E ao se escrever, por exemplo, a separação da parte inteira de um canal de frequência da parte decimal, deve-se usar a vírgula e não o ponto. Exemplo:147,6. Se usarmos o ponto (147.6) estaremos querendo dizer 147.600 kHz e não MHz.
NW
Agora. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
OCT
- oscilador de frequência variável. O mesmo que VFO REMOTO (veja nos termos técnicos VFO REMOTO)
OHM
- Unidade de resistência elétrica. É a unidade que permite a passagem de uma corrente elétrica de um ampare debaixo da pressão de um volt. Essa propriedade foi caracterizada pelo físico alemão George Simeon Ohm (nascido em Erlangen em 1789 e falecido em Munique em 1854). Ele introduziu uma terminologia científica nos fenômenos da eletrocinética, comparando a corrente elétrica à vazão de um líquido, e a diferença de potencial a uma diferença de nível, bem como definiu de maneira precisa as grandezas elétricas e formulou, em 1827, a lei fundamental da eletrocinética. A Lei de Ohm, assim chamada em sua homenagem, refere-se a correntes estacionárias: a corrente num circuito é diretamente proporcional à força eletromotriz total do circuito e inversamente proporcional à resistência total do mesmo.
OM
É a abreviatura de Old Man, e significa colega, amigo (radioamador). (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
OM
Amigo, colega. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
PEP
- potência envolvente dos picos. É o máximo de potência obtida nos picos de modulação, de pico a pico.
PSE
Por favor. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
PTT
- sistema de ligação direta do microfone para que a modulação vá para o transmissor e este não desligue quando o operador parar de modular, como acontece no sistema do VOX.
R
Recebido. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
RCVR
Provém da palavra Receiver, cuja tradução é receptor. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
RCVR, RX
Receptor, Recepção rádio. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
ROE
- relação de ondas estacionárias ou, simplesmente, estacionária. São os pontos estacionários de voltagem da corrente máxima e mínima num condutor, onde a reflexão da carga está presente.
RPRT
Reportagem. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
RTTY
- símbolo do radio teletype. Trata-se de um sistema de operação em teletipo , podendo ser feito em dois modelos: a) operação em HF (high frequency, isto é, alta frequência), quando é usado FSK (frequency shift keying, isto é, manipulação por desvio de frequência) e b) em VHF (very high frequency, isto é, frequência muito alta), quando é usado mais frequentemente o AFSK (audio frequency shift keying, isto é, manipulação com áudio por desvio de frequência). Quando os radioamadores operam em RTTY usam o padrão de velocidade de 60 palavras por minuto, código de 5 sinais, 45,5 bands. A combinação de um ou mais sinais, até a quantidade de 5, seguidos ou alternados, determinará a letra a ser impressa ou transmitida. Desse modo, entram no teleimpressor esses sinais que são impulsos elétricos. Sua presença de corrente é conhecida como "marca" e sua ausência como "espaço". A duração de cada sinal é de 22 milissegundos. Os radioamadores usam uma frequência padronizada para a transmissão em RTTY, de 80 Hz de largura, mas também utilizam frequências de 170 ou 85. HZ (narrow shift), ideal para quando há condições agudas de QRM ou QRN.
SHF
- do inglês super high frequency, isto é, frequência superalta, que vai de 3 a 30 GHz (1 GHz é igual a mil milhões de ciclos por segundo). Essa frequência é destinada para comunicações via satélites, radar, micro-ondas etc.
SIGS
Sinais (de rádio). (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
SN
Vem da palabra Soon, que quer dizer cedo, em breve. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
SN
Cedo, em breve. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
SRI
Eu sinto, eu lamento. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
SSB
- do inglês single side band isto é, banda lateral suprimida. É um processo de transmissão em fonia, com o som se transformando em impulsos elétricos, misturado confusamente e levado ao ar pela antena. Só um receptor que disponha do mesmo processo para "desmisturar", poderá "traduzir" esses sons confusos, para que o ouvido humano possa entender. No processo de transmissão em SSB não há portadora, como acontece com o AM (amplitude modulada), porque em SSB a banda lateral foi suprimida, como seu próprio nome indica. Uma transmissão em SSB ocupa um canal de 2.1 kHz, possuindo uma supressão bem elevada, para não causar interferência nas laterais, por batimento, já que a banda lateral foi suprimida. Justamente por isso, duas ou mais estações com o processo SSB, transmitindo numa mesma frequência, podem sobremodular simultaneamente e serem ouvidas perfeitamente. O mesmo não acontece com estações na modalidade de AM. Se estas últimas modularem simultaneamente na mesma frequência provocarão um forte apito (o batimento lateral se encontrando) e ninguém entenderá nada.
SWL
Rádio Escuta (onda curta). (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
TKS
É a abreviatura de Thanks, significa obrigado. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
TMW
Amanhã. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
TNX, TKX
Obrigado, abradecido. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
TU
Agradeço-lhe. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
TVI
- interferência causada pela emissão de ondas, procedentes de transmissores de rádio, nos aparelhos receptores de televisão e outros.
TVI
Interferência em TV. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
U
Vecê, tu. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
UHF
- do inglês ultra high frequency, isto é, frequência uItra alta, que se comporta como a VHF, porém vai até os 800 MHz. Nesse ponto há mudanças. O comprimento de onda é muito menor que as dimensões dos componentes comuns criados pela tecnologia, pois nessas frequências as válvulas e os transistores dão pouco ganho, havendo necessidade de amplificar-se os sinais com guias de ondas.
UR
Seu. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
UTC
- sigla de Universal Time Coordinates, que é um horário com três horas a mais do que o de Brasília-DF.
VFO
- do inglês variable frequency oscillator, isto é, oscilador de frequência variável, também conhecido como OCT. (Vernos Termos Técnicos VFO REMOTO).
VHF
- do inglês very high frequency, isto é, frequência muito alta, que vai de 30 a 300 MHz. A VHF é usada pelos radioamadores nas frequências de 144,6 MHz a 145,00 MHz e também nas comunicações através de estações repetidoras de 50 a 450 MHz. A VHF foi regulamentada pela primeira vez em 1938, na Conferência do Cairo, no Egito. E usada para transmissão de TV. Sua propagação é em linha reta dentro do horizonte de visão.
VLF
- do inglês very Low frequency, isto é, frequência muito baixa, que vai de 3 a 30 kHz. As ondas de baixa frequência, como as da VLF, se propagam por ondas terrenas ou pelo canal que existe entre a Terra e as camadas mais elevadas da atmosfera -. A VLF é usada nas comunicações, pelos modernos submarinos, devido a sua propriedade de penetrar até 10 metros dentro d'água, não sendo afetada pelas explosões atômicas da atmosfera, as quais muito afetam as ondas de HF.
VOX
- sistema eletrônico adaptado aos modernos transceptores de rádio e que permite desligá-lo quando o operador para de falar, permitindo, assim, escuta imediata; o VOX volta a ligar imediatamente o aparelho, assim que a voz soa de novo no microfone. Este sistema permite ao operador ouvir "breique" de alguém ou o comentário feito pelos outros.
VY
Muito. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
WKD
Trabalho, Trabalhou. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
WX
Tempo (meteorológico). (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
XNTR, TX
Transmissor de rádio. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
XTAL, XTL
Cristal de quartzo. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
XYL
Senhora, Esposa, Mulher. (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
YL
Senhora (Soteira). (Abreviatura muito utilizada pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países.)
          Livro: Radioamadorismo - O mundo em seu lar - Roberto M. Rodrigues

          Até breve!

  Site criado em 2010 por Teixieira - Copyright ® 2010 - Rio de Janeiro/RJ