Blog do Teixeira

Teixeira teve um bom aproveitamento em diversos cursos da área de WebDesign e WebMaster. Atualmente aposentado tem esse espaço para postar comentários, artigos, reportagens, pesquisas. Tudo que ache relevante para o debate e a livre expressão de opiniões.

Um pouco do assunto
Definição Radioamador
Propagação
Repetidoras
Código "Q" e sua definição
Alfabeto Internacional Fonético
Operando nas Bandas de HF
Siglas e Termos Radioamadorismo
Prefixos ARRL e ITU
Prefixos ARRL e ITU - por prefixo
Prefixos ARRL e ITU - por entidade (país)
Prefixos ITU - por prefixo
Prefixos ITU - por entidades (país)
LoTW - Controle para Certificados
LoTw QSOs confirmados - controle
Estudos
Legislação
Legislação de Telecomunicações
Resolução nº 449 de 17/11/2006
Aprova Resolução nº 449 de 17/11/2006
Resolução nº 452 de 11/12/2006
Resolução nº 484 de 05/11/2007
Técnica Operacional
Técnica e Ética Operacional
Eletrônica e Eletricidade
Eletrônica e Eletricidade
Código Morse
Código Morse
LOG Radioamador
Log Radioamador
Resumo por mês
Gravações QSO
Mapa América do Sul
Prefixos Radioamadores
Mapa America do Sul
Mapa Continentes
Mapa e Tabelas
Meus Cartões de QSL
Cartões QSL recebidos
Você está aqui(You are here)
Localize Entidade

Radioamador

          O Radioamador é o serviço de telecomunicações de interesse restrito, destinado ao treinamento próprio, intercomunicação e investigações técnicas, levadas a efeito por amadores, devidamente autorizados, interessados na radiotécnica unicamente a título pessoal e que não visem qualquer objetivo pecuniário ou comercial.

Definição do site da ANATEL

O que é Radioamadorismo

          O radioamadorismo, como o seu próprio nome indica, é um "hobby". É praticado universalmente e, dessa maneira, está sujeito a normas e regulamentos, que são discutidos e aprovados em convenções internacionais, que, por sua vez, são ratificados pelos países que delas participam, inclusive, o Brasil.
          Radioamador é uma atividade incessante. A qualquer hora do dia ou da noite, em todas as partes do mundo, existem sempre vários radioamadores com os seus equipamentos ligados e falando com outros, num intenso formigar de estações pelo ar, trocando informações, aproximando almas distantes e desconhecidas, salvando vidas em perigo, minorando sofrimentos de corações angustiados pela falta de notícias de parentes e amigos. Radioamador é tudo isso e muito mais: é aquela confraternização eterna e espontânea entre os homens, que os aproxima ainda mais, os une e os torna mais humanos, pois na sua maioria, os radioamadores não se conhecem pessoalmente, mas nutrem um pelo outro um profundo e sincero afeto.
          Ao ligar o seu equipamento, o radioamador pode trazer para dentro do seu lar a voz de pessoas distantes, residindo em países longínquos, clique aqui com quem manterá conversações como se fosse uma visita, abordando vários assuntos permitidos pela legislação sobre radioamadorismo, e fazendo novas amizades ou renovando as já adquiridas.
          No Brasil, os radioamadores são legislados pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações. Sendo reserva especial das Forças Armadas, os radioamadores poderão ser chamados a prestar serviços de caráter público, em casos de emergência, tais como catástrofes ou calamidade pública, quando estarão à prova os seus conhecimentos e habilidades de operação, qualidades que são adquiridas no dia a dia, e também participando de concursos e contestes nacionais e internacionais, ocasião em que o raciocínio e a presteza de decisão do radioamador são postas à prova, numa verdadeira cadeia de "escotismo no ar".


O Dia do Radioamador no Brasil e no Mundo

          Até o ano de 1968, o Dia do Radioamador era festejado a 22 de outubro de cada ano. No entanto, após meticuloso trabalho de pesquisas realizado pelo colega PY2-AJ, João Ramos Bacaratt, um dos fundadores da LABRE-SP (Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão), esse dia foi mudado pela direção da LABRE Central.
          João Ramos Bacaratt efetuou um trabalho cansativo e pioneiro, com o seu costumeiro entusiasmo, apresentando a seguir um detalhado relatório ao Conselho Federal da entidade, reunido em outubro de 1968, na cidade de Curitiba-PR.
          Seu trabalho mereceu elogios de todos os que o leram, e, depois de estudado a fundo, o Conselho Federal, por unanimidade, fixou o dia 5 de novembro como o DIA DO RADIOAMADOR BRASILEIRO.
          A fixação do dia 5 de novembro foi em razão de que, nessa data, no ano de 1924, o "Diário Oficial" da União publicara o decreto de nº 16.657, regulamentando as estações de radioamadores existentes no Brasil, e, até então, consideradas como clandestinas. O referido decreto foi baixado tendo em vista a representação feita no ano de 1923, pela Academia Brasileira de Ciências, reconhecendo a existência do radioamadorismo no Brasil, tirando-o da clandestinidade.
          Quanto ao Dia Mundial do Radioamdorismo, este foi criado pela circular de nº 01, da IARU - International Amateur Radio Union (União Internacional de Radioamadores), estabelecendo o dia 25 de abril como o Dia Mundial do Radioamador, por ser essa data a da fundação daquela entidade internacional.


As qualificações para ser um radioamador

          Todas as pessoas que têm contato pela primeira vez com um radioamador operando, ficam maravilhadas. Como "aquele negócio pequeno" (no caso o transceptor moderno) pode falar e ser ouvido pelo mundo todo! Mas o encantamento não pára aí. Ao ouvirem a voz do outro radioamador que se encontra distante,(clique aqui) as vezes em países longínquos, fazem cara de espanto, ouvindo aquele fraseado todo desconhecido, as gírias, o código "Q", (veja aqui) e tudo o mais. Porém quando estão no QTH do radioamador para participar de um QSO familiar, a admiração chega ao máximo, ao ouvir a voz do ente querido tão distante "chegando" tão nítida, como se ele estivesse ali ao seu lado.
           É nesse momento que o radioamador cresce no conceito do leigo, que, não se contendo, indaga: - "É difícil ser radioamador?" Não. Não é difícil. Entretanto o candidato terá que estar preparado humanamente para se tornar um dos nossos colegas.
          Apesar de não ser exigido nenhum diploma ou título, é necessário que o candidato, antes de mais nada, possua certas qualidades que reputamos de suma importância num radioamador, e que são as seguintes:

  1. Ser, antes de tudo, um autêntico consigo mesmo, pois o radioamador que se submete aos exames apenas influenciado, mas sem a devida motivação e o espírito radioamadorístico, esse nunca irá operar depois de prefixado, o que ocorre com muitos colegas, infelizmente;


  2. Ser desprovido de certas vaidades humanas, pois os radioamadores não apresentam, como cartão de visita, nenhum título ou honraria para se identificarem, mencionam, simplesmente, seu indicativo de chamada. Depois, com convivência, é que iremos saber que ele pode ser um médico, um oficial das forças armadas, um engenheiro, etc.No radioamadorismo todos são iguais, desde o mais simples pracista até oficial graduado, pois, como dissemos, títulos ou diplomas não contam ponto para o ingresso na classe, muito embora alguns diplomas, tais como o de radiotelegrafista isente o candidato de se submeter à prova de CW, como o de engenheiro em eletrônica e eletricidade o isente de fazer as provas dessas disciplinas. Aliás, as entidades radioamadorísticas de todo o mundo são as únicas que não exigem do candidato diplomas para se filiarem a elas, e quem os possui não goza nenhum privilégio;


  3. Ser paciente. Nem sempre o radioamador pode ser atendido imediatamente por outro, quando solicita oportunidade. Às vezes terá que esperar um pouco mais até o outro concluir seu QSO, ou aguardar melhores condições de propagação, quando ele chama e ninguém o contesta;


  4. Ser humano em todos os sentidos. Com isso não queremos dizer que seja observado "ao pé da letra", como se diz, que se vá tirar do que temos para dar a outrem carente, coisa que muitos fazem com muita satisfação. Mas, quando surgir uma situação de emergência, o radioamador será uma das mais úteis criaturas, não importando a quem estará servindo, o que possa gastar para cumprir sua obrigação como pessoa humana. Nessas ocasiões, como calamidade pública, epidemia, enchentes, e outras catástrofes, o radioamador tem sido de uma eficiência ímpar, às vezes comprando com seu dinheiro remédios e roupas para remeter aos necessitados, indo buscar pessoas para falar com outras em situação difícil, amenizando, assim, corações amargurados pela doença de um filho, etc. É verdade que, para servir aos outros, o radioamador terá que ficar sentado em frente ao seu equipamento de rádio por muitas horas, consumindo energia elétrica, aumentando a sua conta telefônica, trocando noites de sono por outras de vigília, protelando seu descanso e repouso após um dia intenso de trabalho cansativo, privando seus entes queridos do seu carinho e sua companhia, para ficar de ouvido atento no receptor, para solucionar os problemas que assumiu para resolver, naquela atitude de solidariedade humana que lhe é tão peculiar, mas que, depois da missão cumprida, a satisfação de que pôde ser útil a alguém.

              Ser radioamador é tudo isso e muito mais. É pertencer a uma classe que não visa lucros com o seu "hobby", que presta favores sem esperar retribuições, recompensas ou pagamentos pelos serviços prestados é, finalmente, ser um pouco irmão de cada ser humano.

Adaptado do livro: Radioamador - o mundo em seu lar
   Site criado em 2010 por Teixieira - Copyright ® 2010 - Rio de Janeiro/RJ